Lámina Carbotec
Os laminados Carbotec são fabricados por um processo de pultrusão a partir de filamentos de fibra de carbono dispostos numa matriz de resina epoxídica.
Estão disponíveis três tipos de laminados: com um módulo de elasticidade de 170 GPa (o mais utilizado, módulo baixo: LM), 200 GPa (módulo alto: HM) e 250 GPa (módulo muito alto, para aplicações especiais: UHM).

Download da ficha técnica


Informação adicional

Composição

Folhas pultrudidas, fabricadas a partir de filamentos unidireccionais de fibra de carbono incorporados numa matriz de resina epoxídica especialmente formulada. O teor de fibra de carbono é de aproximadamente 68% da secção do laminado.

Caracteristicas e aplicações

  • Grande liberdade de design.
  • Claras vantagens sobre as placas de aço em certas aplicações.
  • Pode aplicar-se em vigas, colunas, solos e paredes de betão.
  • Reforço duradouro perante as deformações por flexão tanto positivas como negativas.
  • Reforço em vigas de madeira.
  • Leve e flexível: Não exige maquinaria pesada.
  • Resistente à corrosão: não exige tratamento adicional.
  • Sem dificuldade nas conexões nem nas transições.
  • Baixo impacto estético.
  • Utilizam-se apenas fibras de alta qualidade no fabrico.

Campo de aplicação:

Estes elementos de fibra de carbono são calculados e desenhados para uma carga pré-determinada. Estas cargas podem alterar-se ao longo da vida útil da construção e os cálculos iniciais podem ser insuficientes devido a:
  • Aberturas que cortam forjado em solos ou vigas.
  • Aumento das cargas devido à mudança de utilização da construção.
  • Envelhecimento dos materiais de construção.
  • Corrosão da armação.
  • Degradação do betão.
  • Corte de cabos de pré- e pós-tensão.
  • Danos devido a fogo em certos pontos da construção.
  • Terramotos passados ou que possam vir a acontecer.
A aplicação externa das fibras de carbono extrusionadas aumenta a capacidade de carga dos elementos (aumento da carga de flexão). O aumento da capacidade de carga de flexão reduz a deformação por flexão e a formação de fissuras.

Suportes

  • A Carbotec e a Carbotec Pro são lâminas de Fibra de Carbono especialmente indicadas para o reforço, a posteriori, de elementos de betão, madeira e alvenaria.
  • Resistência mínima de tração adesiva do suporte: 1,5 Nmm2.
  • Conteúdo máximo de humidade: < 4%.
  • Achatamento controlado. A tolerância é de um máximo de 5 mm para uma longitude de 2 m e de 1 mm para uma longitude de 30 cm.
  • A temperatura do elemento em questão deveria ser de pelo menos 8ºC e de pelo menos 3ºC sobre a temperatura do ponto de orvalho.
Madeira:
  • A superfície deve ser escovada ou moída.
  • O pó deve ser retirado com um aspirador.

Modo de emprego

  1. Preparação da superfície
  • Para assegurar um espalhar otimizado das cargas do suporte na lâmina Carbotec, a superfície deve ser rugosa, o que se pode conseguir através de jato de areia. Todas as zonas danificadas (fissuras, cavidades e deficiências na superfície) devem ser reparadas antes da aplicação do laminado Carbotec. 
  • A rugosidade do suporte, quando excessiva, dever-se-á encher e nivelar com materiais adequados.
  • A aderência do suporte já preparado dever-se-á verificar através de testes de adesão em pontos ao acaso. O betão deverá ter uma adesão mínima de 1,5 N/mm2.
  • Recomenda-se a aplicação de Implarest EPW quando a qualidade do betão seja insuficiente.
  1. Preparação da lâmina
  • A Carbotec é fornecida em rolos. Desenrolar cuidadosamente, de preferência utilizando uma ferramenta especial. Ter cuidado para não danificar o final do laminado. Utilizar sempre vestuário e equipamento de segurança.
  • As lâminas de Carbotec podem ser cortadas com ferramentas de corte especiais tais como tesouras microdentadas ou radial. Dever-se-ão apoiar nos dois extremos da lâmina durante o corte.
  • Um lado da superfície deve ser limpo minuciosamente até eliminar todo o carbono residual (quando a lâmina está limpa, um pano branco para friccionar contra a lâmina continua branco).
  1. Preparação do adesivo epóxi
  • O laminado Carbotec tem de aderir à superfície mediante Adesivo Lâmina Carbotec.
  • Misturar o componente A e B num recipiente limpo e misturar minuciosamente durante 3 minutos com um misturador de baixa velocidade até obter uma mistura cinzenta. Misturar apenas a quantidade do produto que se possa aplicar dentro da duração da mistura da resina epóxi.
  1. Aplicação do adesivo
  • A superfície deve estar limpa, seca e sem pó antes da aplicação de Adesivo Lâmina Carbotec.
  • De preferência, aplicar o adesivo sobre a fibra de carbono Carbotec. Aplicar a camada de cola em forma de cone (por exemplo, 1 mm nas extremidades e 4 mm no centro) do lado da lâmina que foi limpa.
  • Pressionar a fibra de carbono Carbotec uniformemente contra o betão para uniformizar o adesivo. Utilizar um cilindro de borracha para eliminar o ar preso e assegurar uma aplicação perfeita da lâmina. Aplicar pressão suficiente para eliminar todo o adesivo restante para os lados. Limpar o adesivo restante antes que o mesmo endureça.
  • A espessura média da camada de adesivo deve ter 1,5 mm a 2 mm aprox.
  • Pressionar a lâmina Carbotec contra o betão até que o adesivo tenha tido cura suficiente.
  • O Adesivo Lâmina Carbotec pode ser aplicado mediante um funil. Construir o funil com uma ponte em forma de espátula de um dos lados. A lâmina Carbotec estica-se debaixo do funil e aplica-se o adesivo com a espátula.
  • O material não deve ser tocado até 24h depois da sua aplicação. O Adesivo Lâmina Carbotec alcança plenas resistências mecânicas após 7 dias.
 

Consumo segundo dimensões (kg/m²)

Consumo de Adesivo Carbotec

Consumo de Adesivo Carbotec Lâmina
Largura/espessura (mm) Consumo de Adesivo Carbotec Lâmina
50 Aprox. 300 gr/m
80 Aprox. 500 gr/m
100 Aprox. 700 gr/m
120 Aprox. 800 g/m
150 Aprox. 1.000 g/m

Apresentação

Folhas fornecidas em rolos.
Pedido mínimo 10 metros lineares e a partir de 10 metros lineares múltiplos de 10.
A folha Carbotec deve ser armazenada num ambiente seco e sem pó.

Dados técnicos

Tipo Laminado Secção Transversal
Resistência à tração ao alongamento
0.6 %
Resistência à tração ao alongamento
0.8 %
LM
Resistência à tração: > 2.595 N/mm2
Módulo de elasticidade: 170 GPa
 
mm2
Resistência à tração teórica para o cálculo:
1.038 N/mm2
Resistência à tração teórica para o cálculo:
1.384 N/mm2
50 / 1.4 70 72.80 kN 97.06  kN
80 / 1.4 112 116.40 kN 155.20 kN
100 / 1.4 140 145.20 kN 193.60 kN
120 / 1.4 168 174.40 kN 232.53 kN
150 / 1.4 210 218.00 kN 290.66 kN
 
Tipo Laminado Secção Transversal
Resistência à tração ao alongamento
0.6 %
Resistência à tração ao alongamento
0.8 %
HM
Resistência à tração:  > 1800 N/mm2
Módulo de elasticidade: 210 GPa
mm2
Resistência à tração teórica para o cálculo:
1.200 N/mm2
Resistência à tração teórica para o cálculo:
1.600 N/mm2
50 / 1.4 70 84.00 kN 112.00 kN
80 / 1.4 112 134.66 kN 179.55 kN
100 / 1.4 140 168.00 kN 224.00 kN
120 / 1.4 168
201.33 kN
268.44 kN
150 / 1.4 210 252.00 kN 336.00 kN
Tipo Laminado Secção Transversal
Resistência à tração ao alongamento
0.6 %
Resistência à tração ao alongamento
0.7 %
UHM
Resistência à tração:  > 1800 N/mm2
Módulo de elasticidade: 250 GPa
mm2
Resistência à tração teórica para o cálculo:
1.542,85 N/mm2
Resistência à tração teórica para o cálculo:
1.800 N/mm2
50 / 1.4 70 108.00 kN 126.00 kN
100 / 1.4 140 216.00 kN 252.00 kN
150 / 1.4 210 324.00 kN 378.00 kN

Características técnicas:

  LM HM UHM
Densidade 1,6 g/cm³ 1,6 g/cm³ 1,6 g/cm³
Resistência à tração ≥ 2.595 N/mm² ≥ 1.800 N/mm² ≥ 1.800 N/mm²
Módulo de elasticidade ≥ 170 KN/mm² ≥ 200 KN/mm² ≥ 250 KN/mm²
Alongamento de rutura ≥ 15 ‰ ≥ 9 ‰ ≥ 7 ‰

Nota

As instruções quanto à forma de utilização são realizadas de acordo com os nossos ensaios e conhecimentos e não pressupõem um compromisso do GRUPO PUMA nem isentam o consumidor do exame e verificação dos produtos para a sua correta utilização. As reclamações devem ser acompanhadas da embalagem original para permitir a rastreabilidade adequada.

O GRUPO PUMA não se responsabiliza, em caso algum, pela aplicação dos seus produtos ou soluções construtivas por parte da empresa aplicadora ou demais sujeitos intervenientes na aplicação e/ou execução da obra em questão, limitando-se a responsabilidade do GRUPO PUMA exclusivamente aos possíveis danos atribuíveis direta e exclusivamente aos produtos fornecidos, individuais ou integrados em sistemas, devido a falhas no fabrico dos mesmos.

Em qualquer caso, o redator do projeto de obra, a direção técnica ou o responsável da obra, ou subsidiariamente a empresa aplicadora ou outros sujeitos intervenientes na aplicação e/ou na execução da obra em questão, devem certificar-se da idoneidade dos produtos atendendo às características dos mesmos, bem como as condições, suporte e possíveis patologias da obra em questão.

Os valores dos produtos ou soluções construtivas do GRUPO PUMA que em cada caso sejam determinados pela norma UNE ou qualquer outra aplicável, referirem-se exclusivamente às condições expressamente estipuladas na dita normativa e que vêm referidos, entre outros, a determinadas características do suporte, condições de humidade e temperatura, etc. sem que sejam exigíveis ensaios obtidos em condições diferentes, tudo isto de acordo com o expressamente estabelecido na normativa de referência.