Morcemrest® RF 15 R3

Argamassa de reparação R3 monocomponente de resistências médias.

1504-3 - R3 COV GBC DAP

Download da ficha técnica


Informação adicional

Composição

Produto à base de cimentos especiais, areias seleccionadas e aditivos, reforçado com fibras

Caracteristicas e aplicações

  • Argamassa de reparação classe R3 segundo EN-1504-3.
  • Grande aderência ao betão e módulo medio.
  • Tixotrópico, sem perda de aderência quando aplicado em tectos.
  • Permeável ao vapor de água.
  • Retracção compensada para minimizar risco de fissurações.
  • Boa resistência a cloretos.
  • Resistente a ciclos de gelo-degelo.
  • Grande trabalhabilidade.
  • Alta resistência à carbonatação.
  • Aplicação em exteriores e interiores.
  • Resistente à intempérie.
  • Reparações de elementos estruturais tais como: cantos de varandas, tectos, parques de estacionamento, vigas / pilares de edifícios comerciais e residenciais, paineis pré-fabricados, fachadas de edifícios.
  • Regularização de superfícies de betão.
  • Cobertura de canais, tuneis, consolas de pontes e varandas.
  • Rebocos de fossos de elevadores, caixas de visita, etc.
  • Aumentos e reparações de pavimentos.

Suportes

  • O suporte deverá estar são, limpo, isento de gorduras, óleos, pó e partes mal aderidas (resistência à tracção mínima de 1,5 MPa).
  • Em caso de necessidade, realizar uma preparação do mesmo utilizando preferencialmente meios mecânicos e deixar a descoberto o betão em boas condições.
  • Os suportes absorventes deverão ser humedecidos previamente até à saturação, mas sem ficarem encharcados, aplicar o produto logo que a superfície adquira um aspecto mate.
  • Caso existam estruturas metálicas, estas deverão estar limpas de ferrugem, gorduras, óleos e outras partículas mal aderidas. Se estiverem oxidadas deve-se proceder à sua limpeza através de jacto de areia ou escova de pêlos metálicos. Proteger da corrosão com IMPLAREST C.
  • Na união de suportes verticais e horizontais alargar a junta de união, cortando-a até cerca de 10 mm de largura com uma serra radial, eliminando depois o material cortado.

Modo de emprego

Mistura da argamassa:

  • Adicionar as 2/3 partes de água prevista e misturar progressivamente a totalidade do pó, não parando de mexer. Acrescentar de seguida a restante água e misturar durante mais 2 minutos. Não preparar mais material do que aquele que se poderá utilizar durante 30 minutos (a +20ºC).

Aplicação:

  • Aplicar MORCEMREST RF 15 com palustra ou projectando com pistola, pressionando para assegurar a aderência e compactar o material firmemente.
  • MORCEMREST RF 15 pode ser aplicado em várias camadas, sendo a espessura miníma por camada de 5 mm. Em superfícies verticais podem-se aplicar espessuras até 15 mm sem a ajuda de cofragem. Em superfícies horizontais a espessura máxima é de 50 mm.
  • Na união de suportes verticais e horizontais encher completamente o largo da junta.

Endurecimento:

  • Proteger do vento, geadas e sol durante o endurecimento. Para evitar a secagem excessiva, é conveniente tapar a superfície com serapilheira húmidas ou plásticos durante a secagem.
  • A operação de endurecimento é imprescindivel em todos os casos.

Precauções e recomendações

  • Não juntar mais água à argamassa do que a recomendada nem reamassar.
  • Não aplicar abaixo de 5ºC nem acima de 30ºC.
  • Não juntar cimento, areia nem outras substâncias que possam afectar as propriedades do material.
  • Em suportes expostos a circunstâncias excepcionais recomenda-se o uso do ponte de aderência à base de epoxi IMPLAREST EP.
  • Os utensílios e ferramentas deverão ser limpos com água imediatamente após a sua utilização, evitando-se assim o endurecimento do material e a necessiade de eliminá-lo recorrendo a meios mecânicos.
  • Consultar o Departamento Técnico para qualquer aplicação não especificada nesta Ficha Técnica.
  • Para toda a informação respeitante à segurança no manuseio, transporte, armazenagem e uso do produto consultar a versão actualizada da Folha de Dados de Segurança do produto.
  • Em aplicações manuais, compactar firmemente entre camadas; em zonas de difícil compactação, recomendamos a aplicação mediante processos mecânicos.
  •  Para mais informações relativamente à preparação do betão ou das armaduras de aço, consultar as recomendações indicadas pela norma UNE – EN – 1504 – 10.

Apresentação

MORCEMREST RF 15 apresenta-se em sacos de 25 kg.
Armazenamento até 1 ano na sua embalagem original fechada, ao abrigo da intempérie e da humidade.

Dados técnicos

(Resultados estatísticos obtidos em condições standard)
 

  REQUISITOS R3 DADOS DO PRODUTO
Aspecto      Pó CINZENTO
Densidade de massa      Aprox. 1,9 ± 0,1 gr/cm³
Granulometria   Dmax 1 mm
Espessura de camada   5 mm min.
15 mm máx.
Resistência à compressão 28 dias (EN 12190) ≥ 25 N/mm² ≥ 35 N/mm²
Teor de cloretos (EN 1015) ≤ 0,05% ≤ 0,01%
Adherência (EN 1542) ≥ 1,5 N/mm² ≥ 1,5 N/mm²
Resistência à carbonatação (EN 13295) dk ≤ betão padrão tipo MC (0,45) Aprovado
Módulo de elasticidade (EN 13412)   ≥ 15 GPa ≥ 17 GPa
Absorção do capilaridade (EN 13057)    ­ ≤ 0,5 kg / m² x h½ ≤ 0,2 kg / m² x h½
Compatibilidade térmica parte 1 (EN 13687-1) ≥ 1,5 N/mm² ≥ 1,5 N/mm²
Ciclos Resfriamento brusco a partir de Temperatura Elevada (50 ciclos) (EN 13687-2) ≥ 1,5 N/mm² ≥ 1,8 N/mm²
Compatibilidade térmica parte 4:
Ciclos Térmicos a seco (50 ciclos) (EN 13687-4)
≥ 1,5 N/mm² ≥ 1,5 N/mm²
CURVA RESISTÊNCIAS
Compressão: (EN 12190)
1 dia
7 dias
28 dias
 

≥ 12 N/mm² 
≥ 30 N/mm²
≥ 35 N/mm²
Flexotração (EN 12190) 
28 dias
  ≥ 6 N/mm²
Tempo de vida da mistura (EN 13294)   20 - 30 minutos
Água de amassadura    17±1
Rendimento      2 Kg./m²/mm de espessura
Clasificação segundo EN 1504-3:2006   
Tipo
  R3
PCC

 

Marcação CE

GRUPO PUMA SL
Av. Agrupación Córdoba 17, 14014 (CÓRDOBA)
12
Nº: 210016

EN-1504-3
MORCEMREST RF-15

Produto para reparação estrutural de betão com argamassa PCC.
Para aplicações verticais sem cogragem admite espessuras de 5 a 15 mm e para
aplicações horizontais de 5 a 50 mm (à base de cimento hidráulico polimerizado)
Resistência à compressão Classe R3
Conteúdo em iões cloretos ≤ 0.05%
Aderência ≥ 1.5 MPa
Resistência à carbonatação Passa
Módulo de elasticidade ≥ 15 GPa
Compatibilidade térmica parte 1 ≥ 1.5 MPa
Absorção capilar ≤ 0.5 kg.m2h0.5
Reacção ao fogo A1

 

Declaração Ambiental de Produto (DAP)

Argamassa elaborada com agregados próximos dos centros de produção reduzindo as emissões dos gases de efeito de estufa associados ao seu transporte e elaboradas nos centros de produção com sistemas de Gestão Ambiental certificados de acordo com a norma ISO 14001, pelo que confere um firme compromisso com a sustentabilidade e o respeito pelo meio ambiente.
Argamassa com etiqueta ecológica tipo III (a mais exigente) Declaração Ambiental de Produto verificada externamente pela AENOR.

Nota

As instruções quanto à forma de utilização são realizadas de acordo com os nossos ensaios e conhecimentos e não pressupõem um compromisso do GRUPO PUMA nem isentam o consumidor do exame e verificação dos produtos para a sua correta utilização. As reclamações devem ser acompanhadas da embalagem original para permitir a rastreabilidade adequada.

O GRUPO PUMA não se responsabiliza, em caso algum, pela aplicação dos seus produtos ou soluções construtivas por parte da empresa aplicadora ou demais sujeitos intervenientes na aplicação e/ou execução da obra em questão, limitando-se a responsabilidade do GRUPO PUMA exclusivamente aos possíveis danos atribuíveis direta e exclusivamente aos produtos fornecidos, individuais ou integrados em sistemas, devido a falhas no fabrico dos mesmos.

Em qualquer caso, o redator do projeto de obra, a direção técnica ou o responsável da obra, ou subsidiariamente a empresa aplicadora ou outros sujeitos intervenientes na aplicação e/ou na execução da obra em questão, devem certificar-se da idoneidade dos produtos atendendo às características dos mesmos, bem como as condições, suporte e possíveis patologias da obra em questão.

Os valores dos produtos ou soluções construtivas do GRUPO PUMA que em cada caso sejam determinados pela norma UNE ou qualquer outra aplicável, referirem-se exclusivamente às condições expressamente estipuladas na dita normativa e que vêm referidos, entre outros, a determinadas características do suporte, condições de humidade e temperatura, etc. sem que sejam exigíveis ensaios obtidos em condições diferentes, tudo isto de acordo com o expressamente estabelecido na normativa de referência.